Jesus não perde a esperança

“Em seguida, Jesus ia de cidade em cidade, de aldeia em aldeia, proclamando e anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus. Acompanhavam-no os Doze e algumas mulheres, que tinham sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demónios; Joana, mulher de Cuza, administrador de Herodes; Susana e muitas outras, que os serviam com os seus bens.”
Lc 8, 1-3
Costumamos ouvir que “ninguém é perfeito”, mas se alguém já nos “incomoda” mais perdemos facilmente a paciência.
Hoje, tal como sempre, Jesus ultrapassa tudo aquilo que alguma vez seria previsível da nossa parte (graças a Deus não é como as telenovelas). 
Uma das discípulas de Jesus é alguém a quem Jesus libertou de 7 demónios. Por outras palavras: poderíamos dizer que libertou de 7 vícios ou de 7 situações complicadas ou de 7 atitudes negativas ou o que podermos imaginar!
Segundo a interpretação da minha avó, Jesus não fez tudo de uma vez só, mas em 7 sessões, nas quais, pouco a pouco, foi cativando Maria Madalena. Primeiro com o olhar que a olhava com dignidade, depois com silêncio, a escuta atenta; etc…
Quantas vezes olhamos para muitos e os vemos como casos perdidos? Quantas vezes não temos paciência e nem nos dignamos a olhar alguém. Quantas vezes o nosso julgamento nos separa, porque nos consideramos bem melhor que a outra pessoa?
Oxalá hoje possamos lembrar-nos da atitude de Jesus: Jesus não perde a esperança, mas o Seu amor vai mais fundo ao ponto de conhecer o coração. Não teremos nós paciência com aquela pessoa que procura o mesmo que nós?

Os comentários estão encerrados.