Que Espírito me conduz?

“Ora, se sois conduzidos pelo Espírito, não estais sob o domínio da Lei. Irmãos, de facto, foi para a liberdade que vós fostes chamados. Só que não deveis deixar que essa liberdade se torne uma ocasião para os vossos apetites carnais. Pelo contrário : pelo amor, fazei-vos servos uns dos outros. É que toda a Lei se cumpre plenamente neste única palavra: Ama o teu próximo como a ti mesmo. Mas, se vos mordeis e devorais uns aos outros, cuidado, não sejais consumidos uns pelos outros. Mas eu digo-vos : caminhai no Espírito e não realizareis os apetites carnais. Porque a carne deseja o que é contrário ao Espírito e o Espírito, o que é contrário à carne, são, de facto, realidades que estão em conflito uma com a outra, de tal modo que aquilo que quereis não o fazeis. Ora, se sois conduzidos pelo Espírito, não estais sob o domínio da Lei.”
Gal 5, 13-18


O suporte, a força  para livremente nos dedicarmos a servir os outros, a sermos servos do serviço aos outros, de facto, vem de Deus. O livre arbítrio não é uma criação humana, é uma condição dada por Deus. E é pelo dom de Deus que livremente e por amor tomamos a opção de servir os outros. A nossa reacção imediata é quase sempre contrária ao Espírito de Deus: «Que parvoíce dedicar-se uma vida inteira a servir os outros, quando tinha uma carreira brilhante à frente», ou «Olha a tonta, ainda dá a outra face».
De facto, servir e dar a outra face, por exemplo, são as mais valias que Deus trás às nossas vidas. É saber que não são “espiritozinhos” que conduzem a minha vida, mas é o Espírito de Deus. É não estar sob o domínio da Lei que apregoa o olho por olho, dente por dente. É estarmos libertos de vinganças, rancores, ciúmes e de tantos outros sentimentos mesquinhos que sentimos mas que por amor a Deus não consentimos que cresçam e criem raízes em nós.

Que Espírito me conduz? Me orienta? O do Mundo, o meu ou o Espírito de Deus?

Os comentários estão encerrados.