Quem sabe assim, também hoje pode vir a salvação à nossa casa…

“Tendo entrado em Jericó, Jesus atravessava a cidade. Vivia ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe de cobradores de impostos. Procurava ver Jesus e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. Correndo à frente, subiu a um sicómoro para o ver, porque Ele devia passar por ali. Quando chegou àquele local, Jesus levantou os olhos e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, pois hoje tenho de ficar em tua casa.»
(Lc. 19, 1 – 10)
 
 
Neste tempo de Quaresma, somos convidados a prepararmo-nos. Mas, prepararmo-nos como? 
 
A preparação implica conhecer o projecto e colocar os meios. Ora, se o projecto que Deus tem para cada um de nós é a VIDA (em pleno), a felicidade, o Amor, que meios havemos nós de usar se não os de Jesus?
 
É com Ele que podemos aprender e é a Ele que temos de observar para poder pôr em marcha este projecto.
 
Nesta passagem, vemos um Jesus atento e com um olhar que vai além daquilo que os outros conseguiam ver. Zaqueu era de pequena estatura e estava “pendurado” num sítio completamente improvável, mas mesmo assim Jesus viu-o. E não só o viu fisicamente, como viu também o desejo do seu coração, muito para além da sua aparência, da sua profissão e do que todos os outros eram capazes de paerceber.
 
Ora, ao preparamos os nossos sentidos, começando, se calhar, pelo olhar, aproximando o nosso olhar do de Jesus, estaremos com certeza a preparar também o nosso coração. O desafio é, pois, ter um olhar diferente que acolhe, que convida, que reconhece a verdadeira identidade do outro.
 
Quem sabe assim, também hoje pode vir a salvação à nossa casa…
 

Os comentários estão encerrados.