Comentários estão desligados para este conteúdo

Natal de Elvas (Olhei para o céu)

O Menino que nasceu
Da Virgem cheia de graça,
Entrou e saiu por ela
Como o sol pela vidraça.

Cantai anjos ao Menino
Enquanto a Senhora dorme,
Cantai, mas devagarinho
Olhem a Virgem não acorde.

DÓ
Eu hei-de dar ao menino
                    SOL
Uma fitinha pró chapéu;
                      FÁ
E ele também me há-de dar
SOL              DÓ
Um lugarzinho no céu.

DÓ
Olhei para o céu,
            SOL
Estava estrelado.
Vi o Deus Menino
              DÓ
Em palhas deitado;
Em palhas deitado,
               SOL
Em palhas estendido,
Filho duma rosa,
             DÓ
Dum cravo nascido!

No seio da virgem maria
Encarnou a divina graça;
Entrou e saiu por ela
Como o sol pela vidraça.

Ai, três palavras disse a Virgem
Ai, quando nasceu o Menino
Ai, vinde cá, meu anjo loiro,
Meu Sacramento divino

Arre, burriquito,
Vamos a Belém,
Ver o Deus Menino
Que a Senhora tem;
Que a Senhora tem,
Que a Senhora adora.
Arre, burriquito
Vamos lá embora.

A Virgem lavava, 
São José estendia.
Menino chorava, 
do frio que fazia;
Do frio que fazia, 
do frio que estava.
São José estendia, 
a Virgem lavava.
Autoria: Mário Sampayo Ribeiro, João Croner de Vasconcelos e César Batalha

Os comentários estão encerrados.