Comentários estão desligados para este conteúdo

Um forasteiro em Sicar

    LÁ        MI          FÁ#-DÓ#-
Fatigado do caminho se sentou,
    RÉ              SI-       MI
solitário, junto ao poço de Jacob.
       LÁ      MI FÁ#-     DÓ#-
Quando tu O viste era meio-dia,
     RÉ    SI-         MI
como sempre, como cada dia.
  LÁ       MI  FÁ#-         DÓ#-       RÉ    SI-      MI
E Ele te pediu: "Dá-me de beber", um judeu a ti, samaritana.
    LÁ            MI   FÁ#- DÓ#- RÉ      SI-        MI
E falou-te de uma água viva, aquele forasteiro em Sicar.  

LÁ      MI             FÁ#-    DÓ#-
Se conhecesses quem Te pede de beber,
RÉ      SI-             MI 7 LÁ     MI           FÁ#-
Se conhecesses o dom de Deus, pedir-Lhe-ias tu a Ele,
           DÓ#-  RÉ  SI-(MILÁRÉLÁ)    MI 7
E Ele te daria a água que sacia a tua sede. (2x)

Pediste aquela água
para já não ter mais sede,
nem que voltar ao poço buscá-la.
E em ti converteu-se em fonte de água viva;
não será, por acaso, o Messias?
     RÉ      MI         DÓ#-            FÁ#-
E deixando o cântaro, correste para a cidade:
RÉ          SI-           RÉ              MI
Tudo quanto fiz, Ele me disse", lhes contavas.
RÉ      MI              DÓ#-    FÁ#-
E foram muitos os que n'Ele acreditaram,
RÉ         SI-   RÉ               MILÁRÉLÁ
pela tua palavra e p'lo que d'Ele viram.

Autoria: Maria Pineda, FMVD
Intérprete: Núbia Celis, FMVD

Os comentários estão encerrados.